INEG/AL Dialoga com Conselho Regional de Serviço Social de Alagoas

Este slideshow necessita de JavaScript.

A convite do Conselho Regional de Serviço Social de Alagoas (CRESS-AL), o Instituto do Negro de Alagoas se fez presente em reunião onde foram discutidas formas de aperfeiçoamento no trabalho profissional da Assistência Social, no que tange às questões etnicorraciais. Na ocasião foi definido a realização de um curso para assistentes sociais, o qual não apenas abordará de forma teórica os assuntos relativos às relações raciais brasileiras, mas também apontará e encaminhará propostas objetivas de intervenção nos campos de atuação da Assistência Social no estado. Tal iniciativa por parte do Conselho, se insere no conjunto de ações a serem desenvolvidas dentro da campanha de gestão do Conjunto CFESS-CRESS (2017-2020), intitulada “Assistentes Sociais no Combate ao Racismo”. Participaram ainda da reunião, membros do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas do Instituto Federal de Alagoas – NEABI/IFAL e do Centro de Cultura e Estudos Étnicos – Anajô.

Discutindo Racismo Institucional com a Polícia Militar

Este slideshow necessita de JavaScript.

Objetivando promover o debate a respeito do racismo institucional com vistas ao aperfeiçoamento da relação com a população afro-alagoana, o Instituto do Negro de Alagoas – INEG/AL tem estabelecido um diálogo com os policiais militares da Base de Policiamento Comunitário do Vergel do Lago, em Maceió, enquanto parte das ações que serão desenvolvidas no Projeto “Entre a Periferia e a Orla: diálogos públicos e práticas antirracistas”, subsidiado pelo Baobá – Fundo Para Equidade Racial e pela OAK Foundation. Além dos policiais e de membros do INEG/AL, a reunião também contou com a participação do Ministério Público Estadual, nas pessoas do senhor promotor Jomar Amorin e de seu assessor, Luís Eduardo, os quais são responsáveis pela 61ª Promotoria de Justiça da Capital – Direitos Humanos.

Neste primeiro encontro os policiais militares expuseram as dificuldades que os mesmos têm, seja do ponto vista operacional, seja do ponto de vista de lidar com o tema das relações raciais brasileiras e de como estas interferem e estão inscritas em nosso tecido social. Foi comentado ainda pelos mesmos que tal temática nunca havia sido discutida entre eles e que o Projeto será de suma importância para que eles possam se aproximar e criar as condições mínimas para lidar com tal questão.

O promotor Jomar Amorin, destacou a importância do Projeto com vistas à qualificação policial. A 61ª Promotoria de Justiça tem estabelecido importante parceria com o INEG/AL visando a promoção da população negra alagoana nas mais diversas áreas.

Dentre as atividades a serem desenvolvidas no Projeto, destacamos a realização de dois seminários que contarão com a participação de especialistas na área de direitos humanos e relações raciais.